Faltam...

Daisypath Happy Birthday tickers

30 outubro 2011

Batalhas e Guerras

Ando há muito tempo numa guerra que não quero nem nunca pedi. Mas ela bateu-me à porta e por isso tem sido uma batalha após a outra. Umas vezes perco, outras venço, mas até as que ganho têm um sabor agridoce.

Pergunto muitas vezes a Deus se alguma vez esta guerra vai terminar e se, no fim, irão valer a pena todos os sacrifícios, todas as lágrimas, todos os minutos investidos...
Recuso-me a acreditar que são desperdícios de energia e de tempo, mas há aquela vozinha dentro da minha cabeça que me diz que não vale a pena sonhar.

O que me resta é a vontade e a esperança e esta, como sempre se diz, é a última a morrer.

21 outubro 2011

Lições de Culinária

Gosto de cozinhar. De me meter na cozinha e fazer experiências que nem sempre saem bem.Gosto de ir fazendo coisas novas, quando tenho tempo para tal. "Fechar-me" na cozinha, ligar a música e deixar-me levar pela imaginação e pelo palato.

No outro dia pensei em fazer um curso culinário. É que apesar de gostar não sou nenhuma "coisa do outro mundo" nem para tal caminho. E cada vez a ideia do curso se entranha mais e me soa melhor.

Um dia destes vou mesmo fazer. Alguém interessado/a em juntar-se a mim?

20 outubro 2011

Alguém como tu - Jessica Beatriz

É por estas coisas que eu ouço a Comercial pela manhã....
Alguém como tu (Jéssica Beatriz) por Vasco Palmeirim e Mário Laginha:


video


Já sei que tu tens um namorado
Eu vi no Facebook que tu alteraste o teu estado
Vi uma foto tua com o teu novo herói
Estão bem um pra o outro - ele é feio que dói.

Sinceramente...
espero que isso dure
Já fechei a loja
Haja outro que te ature.

Não sei se lhe contaste, se ele tem ideia
que a tua alcunha era Strunfina, a mais famosa da aldeia
Não estou ressabiado ou qualquer coisa que pareça
Estou aqui... para dizer-te...

Não quero voltar a ter alguém como tu
Eu já pedi para removerem a minha tatoo
Sim, aquela que eu fiz,
Com o teu nome, Jessica Beatriz
Agora que foste sou muito mais feliz....
Agora que foste sou muito mais feliz....

Ainda me lembro do teu cheiro.
Digo eu... e diz o bairro inteiro
Lembro-me de sentir o teu corpo no meu
E eu só pensava "ela tem pneu".

E aproveito para por a minha boca no trombone
e dizer "elas são falsas! Isso é tudo silicone"
Nao estou ressabiado ou qualquer coisa que pareça
Estou aqui... para dizer-te...

Não quero voltar a ter alguém como tu
Nunca mais vais ver este corpinho todo nu
Não, não - nunca - nunca mais
Vais checkar os meus abdominais
que são tão perigosos que deveriam ser ilegais.


Não quero voltar a ter alguém como tu
Eu já pedi para removerem a laser a minha tatoo.
Sim, aquela que eu fiz
Com o teu nome, Jessica Beatriz
Agora que foste sou muito mais feliz.

17 outubro 2011

Parabéns a mim!

O meu único desejo que os próximos 366 sejam pelo menos tão bons como os anteriores 365! :)

15 outubro 2011

Portugal e Grécia

“…Nós estamos num estado comparável sómente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento de caracteres, mesma decadência de espírito.
Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá …vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal.”

Eça de Queiroz, 1872, in As Farpas


14 outubro 2011

Daniela Ruah

Longe vão os tempos das portuguesas baixinhas, anafadas e com bigode....
Aqui está parte da entrevista da Daniela Ruah na Esquire

13 outubro 2011

De volta ao passado

É mais que conhecido o quanto eu gosto de romances dos ínicios do Século XIX em geral e de "Pride and Prejudice", em particular.
Foi neste século que Jane Austen viveu no interior da Inglaterra como uma mulher casadoira típica da época, mas que nunca casou. Pensa-se que teve uma existência protegida, recatada e que tenha morrido virgem, aos 41 anos. E mesmo assim, às vezes penso que Miss Austen percebia muito melhor de relacionamentos do que muitas mulheres da nossa época.

Jane Austen era inteligente, sagaz e com um bom sentido de humor e as heroínas dos seus seis romances têm essas mesmas características. A minha preferida é, obviamente, Elizabeth Benent: é franca, feminista q.b. e quando apaixonada não fica a "bater as pestanas" e a dar risinhos estúpidos. Foi por isso que Mr. Darcy se apaixonou por ela.
Oh! Mr. Darcy!
Oh! Oh! Mr. Darcy...

No inicio sou solidária com Lizzie e detesto-o. No final, continuo solidária e também estou apaixonada. :)
Mr. Darcy é lindo, sério, tímido, com pouco sentido de humor ou pelo menos não o demonstra. Não o consigo a imaginar a fazer um trocadilho malicioso. Mas também é sedutor sem ser óbvio,é educado e íntegro. É viril. Quando erra, admite e resolve o problema.

Já desejei algumas vezes (bastantes até) que o mundo não tivesse mudado tanto desde esses tempos. Sim, não ia gostar nada dos casamentos por conveniência, do diminuto papel da mulher na sociedade, os padrões rígidos e a hipocrisia vigente. Também não ia gostar dos fossos entre as classes (principalmente se não fizesse parte dos "sortudos").
Mas em compensação haveria os homens à moda antiga, realmente dignos de serem chamados de cavalheiros, com respeito, responsabilidade e carácter. A linguagem cuidada, sem a utilização do calão que todos os dias ouço, saídos de bocas masculinas e femininas. Os trajes elaborados, a elegância valorizada em detrimento do prático (logo eu a dizer estas coisas!!!!).

Não quero que esses tempos voltem. Teria que perder muita coisa deste século que valorizo. Mas que gostava que alguns aspectos de antigamente voltasse, isso gostava.

12 outubro 2011

Sem titulo

Eu não sou boa nem quero sê-lo, contento-me em desprezar quase todos, odiar alguns, estimar raros e amar um.

Florbela Espanca

Se eu pudesse....

Ouvi estar música pela primeira vez agora mesmo, na sala de trabalho. E tive que fazer um esforço para não começar a mexer o corpinho.... LOL


video

Maroon 5 - Hands all over

Olhares

Entrei no elevador e vi-a. Com um sorriso nos lábios que não se refletia nos olhos. Estes estavam tristes, com mágoas profundas.

Eram os olhos de alguém que se sentia profundamente infeliz. Que não conseguia pensar no que tinha, apenas no que não conseguiu conquistar, apenas nos sonhos destruídos, nas esperanças que caíram por terra.

Eram os olhos de alguém que já não tinha forças para lutar, que só queria baixar os braços e deixar que as ondas a levassem para qualquer sítio, mesmo que esse sítio fosse o fundo do mar.

Eram os olhos que alguém cansado de reter as lágrimas, cansado de fingimentos.

Eram os olhos de alguém que já não ousa ser o que já fora…

10 outubro 2011

Nunca Ninguém Amou Completamente

"Vou deitar-te na eternidade, que é esse o teu lugar, é esse, é esse. E agora só tenho que te amar tudo de ti, não deixar nada de fora. Porque, sabê-lo-ás? Nunca ninguém amou completamente, houve sempre uma forma de amar fragmentária, parcial. Amou-se sempre em função de uma fracção do amor como se usou um vestuário segundo a moda, desde o calção ou o penante de plumas. Vou-te amar como Deus. Não, não. Deus não sente prazer nem movimento progressivo até ao prazer, coitado, é tão infeliz. Vou-te amar como um homem desde que os há, desde o tempo das cavernas até hoje e com um pequeno suplemento que é só meu."

Vergílio Ferreira, in "Em Nome da Terra"


Lindo!

06 outubro 2011

Ainda sobre a Adele

Eu sei que a música há muito que se ouve, mas só agora conheci o vídeo e não resisti a partilha-lo.

video

03 outubro 2011

Parabéns Pai!

70 anos!

Pai, como é possível que já tenhas 70 anos? Como foi que o tempo passou tão depressa que ainda te vejo com cinquenta? Ou até menos, quando rapaste o bigode e me pregaste um susto?

Feliz dia, Pai!
Eu estou a fazer o que posso para que esta data seja comemorada como mereces. Espero que tudo saia bem! :)

Beijos grandes!

Tudo a postos

Bom humor: ON
Música: ON
Ingredientes: ON
Forno: ON

Tudo a postos para uma tarde na cozinha! :)