Faltam...

Daisypath Happy Birthday tickers

30 janeiro 2008

Há dias assim

Nunca tiveram um dia em que parece que tudo o que pensam, tudo o que dizem e tudo o que fazem está errado aos olhos dos outros? Que fazer o que vocês acham correcto é incómodo para os outros? Que os outros têm direito a ter opinião mas vocês não? Que, resumindo, são vocês ou os outros e que esses outros vencem sempre?
Ontem tive um dia desses...

28 janeiro 2008

E não há duas sem três...

...felizmente!

Já era madrinha de duas crianças fantásticas, agora sou madrinha de três! :)

Fiquei muito surpreendida e, principalmente, ORGULHOSA com o convite da S. e do V. para ser madrinha do Pedrinho! É engraçado como uma amizade que começou "levezinha" se transforma em laços tão fortes! Não haja dúvidas que é tudo uma questão de empatia e de afinidades! :)

Obrigada pelo convite! Adoro o ideia de ser madrinha desse "malandreco"! :)

15 janeiro 2008

Chuva




Gosto de ouvir a chuva a cair lá fora, estando eu no quentinho, entre lençois ou embrulhada numa manta, e saber que HOJE não tenho que sair. Sabe tão bem!

Só falta um chocolate quente e uma conversa animada em boa companhia para ser perfeito (ah e não ter que estudar, claro!)...

09 janeiro 2008

Pedido

A pedido de um amigo aqui fica o seu pedido (que lindo trocadilho!)

Não tenho por hábito divulgar mas é por uma excelente causa.... :D recomendo vivamente!

Dor de cabeça


Tenho uma dor de cabeça que me está a impedir de pensar, logo não conigo trabalhar nem estudar. Se não passa depressa estou tramada!
O esforço que foi escrever isto...

AAAAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!

08 janeiro 2008

Águas passadas não movem moinhos

Hoje fui visitar os meus antigos colegas da 3.5. Estava cheia de saudades e como não foi premeditado, soube mesmo bem revê-los. No entanto, foi no momento em que entrei na sala que me apercebi, pela primeira vez desde que saí em Agosto de 2006, que aquela sala JÀ NÂO ERA a minha sala, eu já não pertenço ali. Não teve nada a ver com as pessoas – sou sempre bem recebida, bem hajam! – mas… simplesmente aquela sala faz parte do passado.
Curiosamente essa sensação não foi desconfortável. Foi o encerrar definitivamente um capítulo que teimava em permanecer por acabar.

Obrigada, D., pelos apontamentos!