Faltam...

Daisypath Happy Birthday tickers

30 janeiro 2010

14 years, 2 months, e 4 days

14 years, 2 months, e 4 days: É esta a idade da minha personagem do MOOsaico. UI! Como é possível já ter 14 anos? Alguém me explica?
Dá-me pena como "cidadã sénior", tendo sido tão activa, ver o MOO cair no abandono...

25 janeiro 2010

Anuncios que me tiram do sério

Neste momento, há dois anúncios radiofónicos que me tiram do sério. Um deles é o da GlassDrive, que é qualquer coisa como;
Oh Pai, parti o meu vidro
Vai à GlassDrive
GlassDrive? É onde?
"É onde?", 'É onde?"?!?!? mas que raio de português é este?

Outra pérola:
Pedrinho, estás a arder em febre, não sei o que fazer.
Liga ao ACP.
Sim, vêm a casa e só levam 10€. Boa Pedrinho.
Deixa ver se eu percebi: o puto está a arder em febre e é ele que sabe o que fazer naquela situação?!?! duh!!!! Não dá grande crédito à inteligência dos sócios do ACP...

24 janeiro 2010

Fim de semana

Na sexta tivemos cá em casa os amigos, A., R., D. e S. que nos brindaram com um convite lindo, lindo, lindo. Dá inveja desta imaginação. Foi, como sempre, uma noite muito agradável, com as lembranças dos velhos tempos e planos para o futuro. Desta vez o jantar foi a "pão e água", ou como diz o G., a "pão e a iced tea", mas acho que estava bastante comestível.
No sábado, eu e o A. fomos uns dorminhocos e dormimos até às 11h. Que bem que soube. De tarde fizemos uma sesta, desta vez a três, o que fez com que nos atrasássemos para a festa da Sofia. Mesmo assim, estivemos lá um bocadinho muito agradável. Infelizmente não pudemos ficar lá muito tempo, uma vez que tinha jantar de família, já 3 vezes adiado por nossa causa. Tenho que abrandar a minha "agenda social".

22 janeiro 2010

Michael Hutchence

Se Michael Hutchence fosse vivo, faria hoje 50 anos. A sua morte prematura foi uma perda enorme para o mundo da música. O albúm "Kick" é um daqueles que o difícil é escolher a melhor e reflecte bem uma das facetas de Michael Hutchence: é muito sexy. Embora não consiga escolher qual a que gosto mais entre músicas como "Mystify", "Devil Inside", "Never Tear Us Apart", "New Sensation" ou Need You Tonight", deixo o vídeo desta última....


video

15 janeiro 2010

Lembranças Gustativas

Quando eu era miúda, tínhamos um ritual. Praticamente todos os domingos, ao final da tarde, o meu pai ia a um café que ficava entre a minha casa e a minha escola. Tinha lá umas pizzas tão boas, ou pelo menos sabiam tão bem. Nunca mais comi uma pizza que me soubesse tão bem como aquelas. Foram sempre acompanhadas pelo KITT ou pelo MacGyver, o que também deve ter ajudado a saberem tão bem como sabiam. Hoje lembrei-me ao que sabiam, mesmo sabendo que nunca mais as vou comer.
Esse café foi também o responsável por eu começar a comer - e a adorar - pão com chouriço da panike. E por falar em panike, durante o secundário comi toneladas de panikes mistos, quentinhos, no intervalo grande da tarde. Que delicia! Mesmo que adore chocolate, os panikes de chocolate não se comparam aos mistos ou aos de chouriço. Ao menos esses não desapareceram, embora já nem me lembro da última vez que os comi.

Mais tarde, na Universidade, comi muita comida de plástico, em restaurantes que a ASAE teria todo o gosto em fechar, truta intragável na cantina, e muita lasanha pré-cozinhada. Creio que qualquer coisa era melhor que cozinhar. Até que abriu um restaurante praticamente por baixo da casa onde morava e até se comia bastante bem. A alimentação começou a ser um pouco mais saudável, não muito, mas melhorzinha. Um dos restaurantes que mais gostei durante os 4 anos e meio que lá passei foi o Piccolo Mondo (obrigada, Under, pela lembrança), mas confesso que não me lembro do sabor da comida de lá, só que gostei.

Recentemente, provei e gostei muito do Steakhouse, do Burger King, sem alface nem molhos. E as batatas são muito melhores do que as do McDonalds.

E ao terminar este post, estou a dar por mim que os melhores sabores que passaram pela minha boca, a nível de comida e sem pensar nos doces - é comida que só faz mal. Abençoada!

07 janeiro 2010

Aperto no Coração

Enviaram-me um e-mail com um powerpoint sobre a fome em África, bebés,crianças e jovens esqueléticos. Não consegui chegar até ao fim. Ainda só tinha visto duas imagens e já as lágrimas escorriam pela minha cara. Como qualquer ser humano digno desse nome, essas imagens sempre me impressionaram, mas desde que o A. nasceu parece que ainda sou mais sensível a tudo o que envolve sofrimento infantil.
Fico com um aperto no coração quando vejo imagens ou leio acerca de situações destas. Estas crianças simplesmente nunca souberam o que é a felicidade, não têm qualquer hipótese de uma sobrevivência digna e,embora nunca tivessem pedido para vir ao mundo, pagam um preço demasiado alto pelos erros dos outros.
Quero sempre o melhor para o A. e todas as mães que eu conheço (e todas as mães que são realmente mães, biológicas ou não) querem o mesmo. Não posso e, sinceramente, não quero imaginar o que aquelas mulheres sofrem também ao verem os seus filhos naquele estado.
Aquelas imagens fizeram com que eu veja as coisas de uma perspectiva bem diferente da que é habitualmente a minha. Tantas vezes fico irritada, nervosa e/ou preocupada com tantas coisas que, vendo bem, são irrelevantes, que me esqueço de dar graças por tudo o que tenho.

06 janeiro 2010

Pai Natal

O A. esteve sem ir à escolinha em Dezembro devido a estar com otites (uma em cada ouvido) e termos preferido que ele as curasse bem. Na segunda voltou e embora tivesse estranhado um bocadinho - afinal esteve quase um mês sem lá ir - "ajudou" a educadora a terminar o seu Pai Natal. Está o máximo, não está? Elas têm imensa imaginação e jeitinho para estas coisas. Não é a primeira vez que o André "faz" coisas relacionadas com a época mas esta achei mesmo muito gira.


Ainda deram um conjunto de plasticina para o A. brincar e dois Pais Natal de chocolate, daqueles para decorar a árvore - adivinhem quem os vai comer? :)

04 janeiro 2010

A primeira foto


A ecografia da"melancia" feita ontem.